terça-feira, 31 de maio de 2011

Os carros mais vendidos no Brasil desde 1959

E adivinhem quem tá na lista!? E alguém duvidava que estivese!? Nosso adimirável Sedan liderou o mercado por 23 anos (1959 a 1982) e só foi superado pelo Gol (preciso lembrar que também é da Volks?), que liderou tal ranking por 24 anos (1987 a 2010).

Segue material reproduzido do site Notícias Automotivas.

Os carros mais vendidos no Brasil desde 1959
Por Gerson Brusco Gonzalez

Para que você tenha uma idéia de como o brasileiro tem comprado carro nos últimos 50 anos,  elaborei uma lista dos modelos nacionais mais vendidos desde 1959. Vai ser uma viagem nos usos e costumes dos seus antepassados e, conforme sua idade, servirá para relembrar o que você mesmo já comprou! Está curioso? Ok, vamos lá!

 
Campeões de Venda no Brasil em todas as categorias – primeiros lugares – desde 1959:

AnosMarcaModeloTempo na liderança
1959 a 1982VolksWagenFusca23 anos
1983ChevroletChevette1 ano
1984 a 1986ChevroletMonza3 anos
1987 a 2010VolksWagenGol24 anos
:-/  Dava para imaginar a mesma marca na liderança em 47 desses 51 anos? E apenas 4 modelos no topo?
"

Quem quer saber mais e compreender os cenários em que os modelos acima foram campeões, acessa aí a postagem original.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Fusca 3D

Além de reunir mais de 400 fuscas e atrair cerca de mil visitantes o 12º Encontro Só Fusca Club de Embu das Artes, que aconteceu no dia  15 de maio, promoveu uma bela projeção artística. Promovido pelo clube embuense, o mais importante encontro de fuscas da região apresentou um pouco da vocação de Embu das Artes.

Natural do Parque Pirajuçara, o Grupo Unidos, da Escola Art Comics, junto com crianças estudantes da escola, pintaram um Fusca usando a técnica do anamorfismo, que dá à imagem uma visão em 3D e cria uma ilusão de ótica a partir do ângulo do observador. A imagem do Herbie (estrela em quatro rodas do filme Se Meu Fusca Falasse), feita no meio do estacionamento do parque, atraiu a atenção do público, que pôde fotografá-la em um local estrategicamente demarcado. O resultado visto nas fotos é surpreendente.
O Grupo Unidos é formado pelos artistas Gláucio San, Miragem e Akemi.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Sexta-feira chamando pro acampamento!?

Quem nunca saiu para visitar um lugar desconhecido, sem reservar um hotel ou uma pousada e, chegando ao destino, foi pego de surpresa e teve que dormir no carro. Pior: Teve que dormir no pequeno Fusca!



Se você tivesse uma Kombi dessas, seus problemas estariam todos resolvidos, pois ela cabe dentro de um Fusca!
É a VW Camper Van Tent. Seu interior é tão espaçoso como o da Kombi original e ainda ostenta esse look vintage do lado de fora.
 A única desvantagem? Essas barracas são um bocado caras: £ 299,99, a venda no Firebox.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Quer ganhar um livro no Dia Mundial do Fusca?

Para homenagear o querido e amado Volkswagen Fusca e seus proprietários, o portal Maxicar, realiza o Concurso "Fusca - Minha Paixão". Até o dia 16 de junho, clique aqui e preencha o formulário contando porque você é apaixonado pelo Fusca.

Os autores das três frases mais criativas ganham um exemplar autografado do livro Eu Amo Fusca, de autoria de Alexander Gromow. Além do livro, o primeiro colocado ganha um kit do Clube do Fusca de Poços de Caldas-MG: um relógio de pulso exclusivo, um adesivo, um porta-documentos e uma sacola retornável.

A divulgação dos ganhadores acontece no dia 22 de junho, Dia Mundial do Fusca.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Cofrinhos!

Minha mãe voltou de Goiania no último domingo e trouxe uns mimos bastante adoráveis. Um Fusca, uma Kombi e uma Lambreta, que também são cofrinhos. Esses carrinhos são mesmo amados por todos!

Só faltou chegarem cheinhos de moedas!
hehehehe...

terça-feira, 24 de maio de 2011

Encontro de Fuscas em Flores da Cunha!

Todo ano, em Flores da Cunha, minha cidade linda (eu nunca digo isso, né!?), ocorre a Feira de Inverno. Na 22ª edição do evento, pela primeira vez, a cidade terá seu Encontro de Fuscas! Sim, em 2006, o pessoal de Caxias Fusca Clube promoveu o Fuscaxias em Flores, mas agora é a cidade que promove! O encontro acontece no sábado, dia 16 de julho, no Parque da Vindima Eloy Kunz! O lugar tem uma vista panorâmica de toda a área urbana e é um dos pontos turísticos mais bonitos da cidade.

Destaco duas atividades que me agradam na programação: A carreata pra exibirmos nossas relíquias pela cidade e o desconto no restaurante Parque da Vindima, onde acontece o delicioso Festival da Polenta, Formaio e Vin, com comida colonial da melhor qualidade. Além disso, a Feira de Inverno de Flores da Cunha, um dos eventos comerciais mais antigos e tradicionais do Rio Grande do Sul, oferece produtos dos do município como malhas, confecções, móveis e vinhos.

Essa foto foi clicada no dia 10 de dezembro de 2006
no Parque da Vindima, quando o Fuscaxias foi em Flores.
Os fuscas estão invertidos.
Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (54) 3292.4054.
Saiba mais:
AÇÃO – ENCONTRO
Promoção de encontro festivo, com exposição de fuscas, a realizar-se no sábado 18
de julho, das 10h às 15h30min. A ação se dará durante a realização da 22ª Feira de
Inverno, que acontece de 18 de junho a 17 de julho de 2011. 

CARREATA
Sugerimos que seja realizada uma carreata pela cidade antes ou após o horário do
encontro, como forma de divulgar a ação.

PÚBLICO
Participantes do Encontro de Fuscas, turistas e visitantes da 22ª Feira de Inverno.

ESTRUTURA
→ Espaço externo coberto;
→ Cordão de isolamento;
→ Segurança.

GASTRONOMIA
→  Desconto no valor do ingresso para almoço, no restaurante Parque da Vindima.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Nova Página

Ano cheio!
Quem acessou o blog no final de semana já reparou que tem página nova por aí! Estava faltando um espaço específico para divulgar os eventos, então, criei a guia Encontros. Alguns ainda estão sem algumas informações pois as páginas dos clubes não foram encontradas. Mas prometo que durante a semana eu consigo mais detalhes. Aproveitem!

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Oscar de Melhor Ator

Os textos da Trip são tão bons que eu não vou escrever nada além disso. Segue material que foi publicado aqui.

O preço da fama

Ser artista de cinema não é pra qualquer um ou, no caso, pra qualquer Fusca. Por isso o cineasta Marcelo Masagão criou um modelo único para atuar em seu próximo filme
Texto por Caio Ferreti

O nome do filme não é Se meu Fusca falasse, o carro não se chama Herbie e muito menos tem vontade própria. Tudo bem, nem precisava. Mesmo sem todos esses apetrechos, o Fusca 1968 do cineasta Marcelo Masagão (na foto ao abaixo) estará nas telas de cinema como um personagem bem estiloso. Para entrar em cena no longa Otávio e as letras, que estréia este mês (estrou em abril), o carro recebeu um tratamento especial. Passou a ser um tradicional táxi do fim da década de 60, com direito a taxímetro e rádio originais de época, e ainda ganhou um detalhe a mais um tanto quanto curioso: toda a parte interna foi forrada com o mapa de São Paulo. Ótimo acessório para um taxista que roda o dia inteiro pela cidade. “Eu quis fazer um taxista interessante, singular”, justifica Masagão. “O Fusca é um bicho carismático. Talvez a única invenção boa do Hitler”, completa.

Foto: Nelson Mello
Valor da reforma: R$ 5.000. Quase o dobro dos R$ 3.000 pagos quando o carro foi comprado, em 1999. Aliás, a história da compra também tem ligação com um dos filmes do cineasta. Quando fez o documentário Nós que aqui estamos por vós esperamos, Masagão herdou algo além do sucesso do filme. Uma dívida de US$ 17.000. A solução foi vender a caminhonete S10 que tinha, pagar a dívida e comprar o Fusquinha para não ficar a pé. “Não imaginava que estaria com ele até hoje. Mas agora ele está ocupando um espaço maior do que deveria”, diz. Problema fácil de resolver. Agora o Fusca Táxi, praticamente um ator de cinema, está à venda. Masagão pede R$ 30.000 por sua peça única.
Foto: Nelson Mello
Se dependesse do presidente do Fusca Clube do Brasil, Andreas Wolfsohn, o carro do cineasta faria parte do grupo. “Ele seria interessante para participar de exposições”, diz. “Toda mostra do clube tem um Fusca diferente, são eles que fazem o show do evento”, completa Andreas. O diferencial e a singularidade do Fusquinha de Masagão são garantidos. Só faltava mesmo falar.

VAI LÁ: Quer comprar? Escreva para marcelomasagao@uol.com.br. Sobre o filme: www.filmesdomasagao.com.br
 
(o\_ | _/o)

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Isso que é releitura!

Agora sim! A Volkswagen lançou o novo Beetle mundialmente em três eventos realizados em abril. A nova geração do compacto, que perde o "New" do nome, foi apresentada em Xangai, Nova York e Berlim.

Conforme notícia divulgada pelo site Autoesporte.com, o Beetle mudou: está 15,2 centímetros maior e 8,4 cm mais largo do que o antecessor. Já o teto está mais baixo, mas seu desenho inclinado foi suavizado, o que garante maior espaço interno. A nova geração tem três opções de motores. Dois são a gasolina: 2.0 TFSI e o 2.5 de cinco cilindros, com 200 cavalos de potência e 170 cavalos (!?), respectivamente. A versão turbodiesel 2.0 TDI desenvolve 140 cv de potência.

O que mais me agrada no design é o teto, que ficou mais baixo e deixou o Beetle mais a cara do Fusca. O desenho inclinado foi suavizado em relação ao New Beetle, o que garante maior espaço interno. Mais! E não menos como a Kombi.

O carro vai ser vendido no Brasil, mas ainda não tem data prevista. E, então, quem vai vender a casa, a mulher e o cachorro pra ter um desses? Hã!?

terça-feira, 10 de maio de 2011

Nova Kombi

Eu sei que essa notícia saiu ainda em março e os leitores, como bons apaixonados por refrigerados a ar, já devem ter lido e visto as imagens da nova Kombi. Mas eu ainda não dei minha opinião, então tá valendo!

O modelo é bonito, mas não pode ser considerado como a nova Kombi. Aliás, não vai ser chamado pelo mesmo nome, a montadora o apresentou como Bulli, mas o conceito foi criado em cima de uma proposta da Kombi para o século XXI. O modelo, que nem é tão grandão como a Komboza, tem capacidade para seis passageiros. Na minha opinião, o carro ficou achatado demais e perdeu as características. O retrovisor na horizontal também não me agrada.


O carro tem um motor elétrico de 85 Kw de potência.

O Bulli faz de 0 a 100 km/h em 11,5 s e tem velocidade
máxima de 140 km/h (controlada eletronicamente).

Modelo traz motor a diesel ou a gasolina que auxiliam o propulsor elétrico.

Espaçosa?


A nova versão da Kombi ficou pronta após 10 anos de projeto.. Uma década pra descobrir como descaracterizar o auto!? Aff...

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Fãs do 53

Hoje o blog manda uma dica bem especial! O site LoveBugFans foi criado para promover a camaradagem entre os fãs do filme da Disney, "Herbie The Love Bug", e ainda atuar como um recurso para os proprietários de Herbies originais e réplica.
No site, uma das páginas mostra Herbies de diversas localidades. Abaixo meus preferidos, Rat Herbies:

O LoveBugFans.com está no ar desde 2002. Eles respondem perguntas, sugerem recursos para sua restauração e além de contribuir com amizade. O site é licenciado pela Volkswagen.

Fãs do LoveBug, divirtam-se!

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Fusquinha 1200cc

Como eu sempre digo: quem já teve um fusca tem uma história inusitada pra contar... A crônica a seguir foi publicada no jornal O Florense. Flávio Luís Ferrarini é um escritor admirável. Ele é natural de Nova Pádua e, ainda adolescente, mudou-se para Flores da Cunha, minha cidade linda, onde ele mora até hoje. Já me encantei com diversos textos dele, publicados no jornal ou nos livros. E fico deveras feliz por ele ter narrado este episódio sobre o seu besourinho.

Fusquinha 1200cc
Flávio Luís Ferrarini 
Imagem:

Agora, com o Brasil começando o ano de verdade, a rotina voltou ao normal com mais de 35 milhões de carros nas estradas e ruas das nossas cidades.

Os carros estão em toda parte. Os carros ocupam todos os espaços possíveis. Enchem as ruas, entopem as calçadas, empilham-se em viadutos, atapetam as estradas, escondem-se em estacionamentos subterrâneos.
O cigarro mata. O uísque mata. O sal mata. O sol mata. A maionese mata. E o carro? O carro mata sem dó nem piedade. O carro intoxica e mata. O carro ensurdece e enlouquece. O carro engarrafa milhões de pessoas. O carro azeda o humor e paciência de todo mundo.

O carro vicia. Talvez quase tanto quanto o crack. Milhões de pessoas não conseguem sair de casa sem ser a bordo do seu carro. Criam uma dependência química terrível. Há os que praticamente moram em seus carros tunados.

Se no início do século passado a velocidade média nas grandes cidades era de 30 quilômetros por hora, limitada pela velocidade máxima dos carros. Hoje em dia, com máquinas que chegam a 300 por hora, a velocidade média não passa dos mesmos 30 por hora.

O carro é desejo de consumo de quase todo mundo. Junto com o primeiro emprego vem o sonho do primeiro carro próprio. Não importa se com ele vem a prestação, a manutenção periódica, o IPVA, o seguro, a multa e a Bomba (de gasolina, é claro). Não importa se o carro é usado e precisa de alguém para segurar a porta fechada enquanto estiver andando. Não importa se precisa pedir licença ao caroneiro para trocar de marcha. Não importa se o carro parece uma batedeira de tanto que treme. Não importa se o carro muitas vezes só pega no tranco.

Não obstante isso tudo, todo mundo quer ter um carro e todo mundo tem uma história inesquecível sobre seu carro para contar. É evidente que também tenho a minha.

O meu primeiro carro foi um fusca 1200cc, ano 1962, cor branca. Brasileiro, original, simples, bonitinho e honesto. O meu primeiro carro nasceu quando eu tinha apenas um ano de idade. A aparência era bem espartana. Não tinha enfeite algum, mas era anêmico. O meu fusca não falava como o famoso Herbie de Se meu fusca falasse, apenas tossia e gemia. Além de tossir e gemer, fumava e batia lata. Não tinha forças para quase nada. Bastava botá-lo para enfrentar um aclive para que abrisse as pernas, tanto seja, as rodas. Punha toda a língua para fora e pedia água.

Com o meu fusquinha 1200cc precisei aprender, na marra, os rudimentos da mecânica; câmbio, alternador, carburador, distribuição, disco de freio, kit de embreagem, etecétera.

Com o meu fusquinha 1200cc, levei minha noiva para um tour pelos “Caminhos da Colônia”, mal cabendo em mim de tanto orgulho. Era o aniversário dela. Gastei o sábado inteiro para embonecá-lo. Banho, cera, escova, brilho e uma generosa dose de perfume. Cavalheiro, abri a porta e ajudei minha noiva a acomodar-se no banco do caroneiro. Tudo andava maravilhosamente bem, com o motor mostrando saúde razoável. De repente, o danado aprontou. Fez-me passar por um dos maiores vexames da minha vida. Ouvi um estrondo. Achava que algo havia caído do céu como um meteoro ou um destroço de satélite, quando fui verificar havia sido o motor que se desprendeu dos calços e foi-se para o chão da estrada de chão batido. Perdi o motor do fusquinha 1200cc e por muito pouco não perco também a noiva.

Minha história com o fusquinha 1200cc, na verdade, é o lado romântico do carro, um linitivo para o duro e estressante trânsito neste início de março.